Café do Poeta
Seu Perfume Inebria o Leitor
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


Nó em Pingo D’água
Por: Alexandre ď Oliveira
 
          Sem meias palavras alguém chega para mim e diz de forma sucinta e bem compreensível que nesta cidade tudo que se faz, tem ao menos alguém com algum interesse a mais do esperado, ou que tem alguém com intenção bem diferente do apresentado.
          Eu olhei para a pessoa, e disse queira ou não, sou obrigado a concordar desde o inicio de sua fala. Ninguém aqui faz nada que não seja por interesse próprio. Este visa tirar o máximo de você, não faz nada pensando que tal projeto possa dar a este satisfação de estar de acordo com o que mostra e quer ganhar o seu sem desconto de impostos.
          Exemplo disto. Imagine que ninguém de fino trato, vá para o palco mostrar um enredo que seja sem ao menos para ganhar o seu cachê.  Não vem com esta de festejar o aniversário da cidade, imagine um centenário de alguém que por esta passou. Algum interesse alguém de fato tem, omisso, mas tem. Agora me admira este investir numa comunidade onde este mesmo diz ser de pescador. 
          Sem nenhum problema, eu sou pescador e cada lance da minha rede ela traz um grande sonho a ser vivenciado.  Mas, isto é outra história, nesta quem descreve sou eu, como de fato possa realizar. Eu sou pescador de sonhos. Sou eu que de fato quero contar minhas histórias.  Sou eu que de fato me preocupo com o momento em que devo apresentar.
          Se, tem alguém que ajude a desenvolver a trama eu até agradeço. Entretanto, meu jovem, têm muitos que são espertos e não perde tempo dando nó em pingo d'água.
Alexandre Poeta
Enviado por Alexandre Poeta em 05/07/2017
Alterado em 05/07/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários